"Vença a si mesmo e terá vencido o seu próprio adversário." (Provérbio japonês)



“Presos ou soltos, nós, seres humanos, somos muito cegos e sós. Quase nunca conseguimos transcender os nossos estreitos limites para enxergar os outros e a nós mesmos sem projetar o nosso próprio vulto na face alheia e a cara dos outros na nossa.”

Visite meu arquivo .

domingo, 20 de junho de 2010

O que nos leva a falar mal dos outros.

http://2.bp.blogspot.com/_1Z9W1pyFrr4/S7fKS529JII/AAAAAAAAAZ4/74lH5wJLD2c/s1600/fofoca-711647.jpg





Nas rodas de conversa com os amigos, em família, sempre há fofoca e comentários “maldosos”. Às vezes o fato é verdadeiro e a pessoa de quem se fala tem realmente características negativas (mas quem não as tem?), mas a questão não é essa. A questão é: por que será que as pessoas fazem isso, sentem vontade de falar mais dos defeitos do que das qualidades? Por que será que isso é tão comum? Chego a dizer que é quase irresistível para a maioria das pessoas.
Difícil é a gente ver uma roda de conversa onde predomine o elogio e pessoas falando bem dos outros e se esquecendo de falar dos defeitos. Não seria interessante esse comportamento? Não falar dos defeitos e somente falar das qualidades dos outros? Podíamos escolher pessoas com muitas virtudes e gastar muito tempo falando bem delas. Mas isso não tem graça, a conversa não fica interessante. Causa até mal estar nos outros. Geralmente, quando alguém faz um comentário de elogio, outra pessoa (ou a mesma pessoa que fez o elogio) fala logo em seguida “Fulano faz isso de bom mas também tem esse outro lado assim, e assim…”
Isso tem a ver com a forma como nós nos sentimos. Quando mais nos sentimos bem a nosso respeito, menos teremos vontade de apontar os defeitos alheios. Quanto mais insatisfeitos, mais teremos essa tendência. E isso ocorre por um fato muito simples. Ao falar mal de alguém temos uma sensação falsa de que somos melhores. Dá um sentimento temporário de superioridade. É uma necessidade de nos elevarmos e isso é feito através do rebaixamento dos outros.
Quando sentimos vontade de falar mal de alguém temos um momento ideal para a auto-observação e análise do que sentimos. Pode ser que os defeitos do outro nos incomodem, mas pode ser também que sejam as qualidades da outra pessoa que nos causam ciúme, inveja, raiva. Em qualquer um dos casos, o importante é reconhecer que existe algo de negativo em nós que veio à tona.
Esses momentos são ideais para fazer rodadas de auto-aplicação da *EFT – Emotional Freedom Techinques (veja link para apostila gratuita). A técnica é bem simples e tem uma ação muito rápida. Normalmente conseguimos eliminar o sentimento que nos leva a falar mal da pessoa em poucos minutos, o que irá mudar nosso comportamento naturalmente.
Pense bem agora em uma pessoa que você tem vontade de falar mal. É preciso avaliar: Estou com raiva? Com inveja? Sinto-me incomodado? Sinto-me ameaçado (na vida profissional, na vida afetiva)? Preciso me elevar? Qualquer que seja a resposta é um sentimento interior negativo e que pode e deve ser eliminado. E devo dizer que para isso não conheço ferramenta mais fácil e rápida do que a EFT. Identificar o sentimento negativo é a parte mais difícil; depois que isso é feito, a técnica pode ser aplicada com facilidade.
Com a aplicação regular da EFT ficaremos cada vez mais tranqüilos, seguros, confiantes e isso irá se refletir no nosso comportamento. A ansiedade diminui e a vontade de comentar coisas negativas também. O elogio a terceiros passará também a não nos incomodar e será motivo até de alegria. Você passará até a ver mais as qualidades da pessoa de quem antes só via defeitos e vai passar a compreender melhor os defeitos alheios com menos julgamento.
Isto é um exercício diário que poderia ser feito a vida inteira. Utilizando a EFT ocorrerão progressos incrivelmente mais rápidos do que quando usamos somente a reflexão. A reflexão é boa para identificarmos os sentimentos negativos e a EFT é a ferramenta para eliminá-los. Mudar os sentimentos simplesmente através do esforço consciente também produz resultados, porém de forma muito lenta e gradual, levando-se meses ou anos para se obter uma diferença significativa.

André Lima
Terapeuta Holístico – Praticante de EFT, Reiki Máster, Terapeuta Floral

http://2.bp.blogspot.com/_L7hPjr3w9VM/SECE2QiaYxI/AAAAAAAAARo/gAhLyXQREbU/s400/Untitled+fr.jpg
                                                 Viu esta cena? Ponha a sua "barba" de molho.

3 comentários:

  1. Realmente um texto bastante claro do que acontece todos os dias quando se juntam pessoas pra conversar.
    Eu já pratiquie bastante a EFT, mas também uso outras técnicas como bons resultados.
    Rejane, uma ótima tarde de domingo pra você, beijos

    ResponderExcluir
  2. Se não tivéssemos tantos defeitos, não nos agradaria tanto notá-los nos outros .Quanto a mim o remédio é simples desde que consigamos ,estar bem com nós próprios.

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  3. Adorei o texto e adorei o blog. Resolvi segui-la e convido-a para visitar-me, conhecer o meu blog e tomar um chocolate comigo.
    Uma semana gostosa e feliz.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita.
Volte sempre!!
Rejane

"Quando uma criatura humana desperta para um grande sonho e sobre ele lança toda a força de sua alma... Todo o universo conspira a seu favor!" - Goethe "Sou sempre eu mesma,mas com certeza não serei a mesma para sempre!" Clarice Lispector

Textos no arquivo :

Mudanças


"Quando uma criatura humana desperta para um grande sonho e sobre ele lança toda a força de sua alma... Todo o universo conspira a seu favor!" - Goethe





"Sou sempre eu mesma,mas com certeza não serei a mesma para sempre!"



Clarice Lispector