"Vença a si mesmo e terá vencido o seu próprio adversário." (Provérbio japonês)




sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Fontes geradoras de grande sofrimento.

[sofrimento.jpg] 



Por  Rosemeire Zago

O sofrimento com certeza pode estar relacionado com situações que acontecem no presente, mas é importante buscar sua origem no passado, pois muitas vezes a dor original, aquela primeira vez que sentimos algo semelhante ao que nos faz sofrer hoje, vem lá de trás e sequer lembramos ou relacionamos com o sofrimento atual. Igualmente importante é percebermos nossas reações diante dos acontecimentos, pois eles fazem muita diferença naquilo que sentimos. Como você tem reagido a cada situação? Pense sobre isso.

Há ainda algumas fontes de grande sofrimento:


A rejeição . Assim como o abandono quando criança, é uma das causas que mais deixam sequelas em nós adultos. Pode acontecer por pais ausentes ou mesmo quando presentes pela falta de demonstração de apoio, carinho e amor. Crianças que sentiram rejeição ou abandono pelos pais ou por um deles provavelmente sentirá uma imensa necessidade em agradar, ser aprovada e reconhecida quando adulta. É como se buscasse a aceitação que não sentiu quando criança e assim passa a fazer de tudo pelos outros, sempre supervalorizando os demais e desvalorizando a si própria. É o eterno bonzinho, fazendo tudo pelos outros e agindo de modo a agradar a todos porque precisa do reconhecimento constante para se sentir importante, útil, porque no fundo não se aceita, não tem autoconfiança. Tenta ser agradável e provar que sua presença é importante, para no fundo sentir que é amado. Não pelo que se é, mas pelo que acredita que querem que seja, criando cada vez mais máscaras com a intenção apenas em ser aceito. Na verdade está sempre sendo manipulado e usado, fazendo que se sinta cada vez pior.

A manipulação. É permitir-se fazer o que outra pessoa quer que você faça, ainda que você não queira, mas em geral o processo acontece sem que a pessoa o reconheça, ou seja, é inconsciente. Só consegue deixar de ser manipulado ao reconhecer o fato.

Culpa. É algo que corrói e gera muito, muito sofrimento. Culpamos-nos pelo que fazemos, não fazemos, pelo que pensamos ou ainda, pelo que sentimos. Em geral toda culpa gera autopunição. A própria condição do abandono pode gerar muita culpa, é como se o inconsciente tivesse o seguinte pensamento: O que fiz de errado para ser abandonado? Devo ser muito mau. E começa a buscar situações de mais sofrimento como punição por ter sido tão mau. Outro fator importante sobre a culpa é lembrar que geralmente nos culpamos quando julgamos situações passadas com valores do presente. Nossos valores e formas de pensar mudam, por isso evite se culpar por aquilo que fez ou deixou de fazer, procure ser responsável por suas escolhas e entender os motivos que o fizeram agir da tal modo na época, o que é muito diferente da culpa que só traz sofrimento e não produz mudança.

Reprimir sentimentos. Temos que diferenciar controlar sentimentos e reprimir sentimentos. Controlamos quando identificamos o que sentimos e assim o controlamos. Reprimimos quando negamos como se não o existisse. O que nos faz somatizar e adoecer são os sentimentos reprimidos, aqueles que negamos a nós mesmos, enquanto o controle denota um controle sob aquilo que se sente. Por isso nunca reprima o que quer que sinta, mas aprenda a controlar.


Repetição de padrão. Alguns padrões de comportamentos aprendemos muito cedo, ainda em nossa infância. Podemos perceber que os padrões de comportamentos que mais se repetem são nos relacionamentos afetivos. Será que muitas vezes você não agiu, ou ainda age, em seu relacionamento como aprendeu que tivesse que agir e que nem sempre era o que queria de verdade?  Será que o que espera do outro não é muitas vezes aquilo que não teve em sua infância e por ignorar esse fato, está sempre buscando relacionamentos que nunca o satisfazem?

Tendemos a repetir padrões já conhecidos. Quais foram os modelos de dar e receber afeto e amor que teve? Muitas pessoas acreditam que amar é sofrer, ou ainda, por exemplo, quem teve uma família com brigas constantes, agressões, poderá repetir esse mesmo padrão de comportamento. Outros ainda que tiveram um dos pais alcoólatra e, apesar de não terem desenvolvido o alcoolismo, podem relacionar-se com alguém também alcoólatra. Quem teve um pai ausente, poderá buscar um companheiro tão ausente como o pai. É como se buscássemos resolver questões que não conseguimos resolver no passado e assim, as repetimos. Esse processo acontece de forma inconsciente, por isso nem sempre percebemos facilmente. Tudo isso pode acontecer com o intuito, inconsciente, de resolver conflitos do passado e que por não terem sido elaborados e compreendidos, se repetem para que sejam compreendidos, aceitos e principalmente, para que aprendamos a enfrentá-los. Será que suas atitudes não estão mantendo um círculo vicioso e destrutivo?

Fazer pelos outros .O que compete a eles fazer. Muitas vezes assumimos responsabilidades que não são nossas, e com isso não permitimos que o outro cresça e acredite em si próprio; além do que, nos sobrecarregamos e sentimos estar carregando o mundo nas costas. Geralmente isso acontece pela necessidade, ainda que inconsciente, em agradar e assim, ser aceito e amado.

Controle. Controlar pensamentos e comportamentos dos outros denota uma total falta de controle da própria vida.

Medo de ficar só. Quem só consegue ficar bem quando na companhia de outras pessoas é um eterno fugitivo de si mesmo.

Papel de vítima. A vítima apenas se lamenta e não consegue sair do lugar. É o eterno coitadinho esperando que alguém faça algo por ele, mas é preciso se conscientizar que nós somos responsáveis por nós mesmos!  Temos que trocar a paralisia por perseverança.

Comparação ou situações que causem humilhação ou vergonha. É uma maneira sutil de dizer ao outro que ele não tem valor, comprometendo totalmente a autoestima. Identifique as situações que geraram vergonha e liberte-se delas.

Manter relacionamento afetivo destrutivo, doente. Ou qualquer relacionamento com alguém que te cause sofrimento e traga à tona o pior de você. Pode acontecer como repetição de padrão.

Abuso físico, sexual, emocional. Geralmente acontece quando ainda criança. Outra fonte de sofrimento por longos anos, o que requer um constante apoio psicológico para não comprometer as relações afetivas.

Necessidades emocionais não satisfeitas. Quando não tivemos nossas necessidades de afeto, carinho e amor suprimidas, podemos não nos considerar merecedores de recebê-las. Ou ainda, podemos sentir um vazio tão grande dentro de nós que parece que nada irá preencher.

Obrigar-se a: “tenho que...” Isso não quer dizer deixar de manter as responsabilidades assumidas, mas evitar fazer o que não gosta dentro do que é possível.

Perder os sonhos. Quais eram seus sonhos mais íntimos? Ou quais são seus sonhos agora? O que está esperando para realizá-los?

Frustração e insatisfação constante. Quando estamos sempre cedendo, dizendo sempre sim, acabamos por anular nossas necessidades e desejos e em consequência sofremos.

Falta de respeito. Quando não recebemos respeito pelo que sentimos desde criança ficamos sem referência do que é respeito, e assim permitimos que não nos respeitem na mesma proporção em que não aprendemos a nos respeitar.

Falta de amor. Não só do outro, mas o amor próprio. Tudo o que foi citado tem como maior sequela a falta de amor por nós mesmos, o que faz recomeçar todo um círculo vicioso.

Para que possamos identificar a(s) causa(s) de nosso(s) sofrimento(s) o mais indicado é o autoconhecimento, que obtemos com o processo da psicoterapia.



4 comentários:

  1. Há quem diga que só nos curamos de um sofrimento, depois de o haver suportado até ao fim ...

    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Rejane, minha amiga. O Arca está fazendo um ano de aniversário.
    Obrigada pela companhia durante o ano de 2009. Que possamos continuar juntos por muito mais tempo, trocando experiências, amizade, sentimentos. Que possamos nos ajudar mutuamente; que possamos crescer como seres humanos e, quem sabe, escalarmos mais um degrau na escala evolutiva. E que Deus nos proteja a todos.
    Beijo especial.

    ResponderExcluir
  3. Rejane, muito bom ler o que mexe com o íntimo do ser...realmente é importante perceber a nossa reação do que acontece a nossa volta...com certeza faz grande diferença no que sentimos...tenho sempre refletido sobre a questão...o pensamento que coloquei lá no meu cantinho, também serve para me auto lembrar...Beijos e obrigada. Sol

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita.
Volte sempre!!
Rejane

Visite meu arquivo .

Textos no arquivo :


"Quando uma criatura humana desperta para um grande sonho e sobre ele lança toda a força de sua alma... Todo o universo conspira a seu favor!" - Goethe





"Sou sempre eu mesma,mas com certeza não serei a mesma para sempre!"



Clarice Lispector