"Vença a si mesmo e terá vencido o seu próprio adversário." (Provérbio japonês)



“Presos ou soltos, nós, seres humanos, somos muito cegos e sós. Quase nunca conseguimos transcender os nossos estreitos limites para enxergar os outros e a nós mesmos sem projetar o nosso próprio vulto na face alheia e a cara dos outros na nossa.”


"Quando uma criatura humana desperta para um grande sonho e sobre ele lança toda a força de sua alma... Todo o universo conspira a seu favor!" - Goethe





"Sou sempre eu mesma,mas com certeza não serei a mesma para sempre!"



Clarice Lispector



sábado, 13 de março de 2010

Coragem de mudar .

 


Sobre o livro : Coragem de mudar.
Autor Marylin Gustin



Trecho do livro: Coragem de mudar



INTRODUÇÃO



Nos últimos dez anos, muita coisa foi dita e escrita sobre o poder que as mulheres têm de criar suas próprias vidas. Quando perguntei a um grande número de mulheres como tentavam fazer isso, elas me falaram sobre a capacidade fundamental que descobriram nelas mesmas: a capacidade de fazer suas próprias escolhas.

Pedi exemplos. Sem exceção, falaram das escolhas sobre circunstâncias externas. Nenhuma mencionou espontaneamente seu poder de escolher a respeito de si mesmas, de determinar suas próprias experiências interiores.

Ainda assim, o poder de escolha sobre nossa vida mental, emocional e espiritual é a maior capacidade que temos. Muito embora raramente ouvimos sobre esse poder, e talvez o tenhamos experimentado ainda menos, podemos escolher a qualidade de nossas experiências interiores.

Essa escolha mudará todo o resto.

Há um princípio universal envolvido aqui. É, na verdade, uma compreensão espiritual básica, quase sempre perdida por muitas mulheres comuns no mundo de hoje.

Esta lei essencial é: o interior determina o exterior.

Essa lei significa que o que nós somos por dentro determina o que acontece em nosso mundo exterior — nossos lares, nossa criatividade, nossas profissões, amizades, igrejas e comunidades.

Enquanto continuarmos a nos concentrar nas situações externas de nossas vidas, a qualidade de nossas experiências continuará sempre a mesma. Se quisermos que nossas vidas tenham uma qualidade nova e mais bonita (e quem não quer?), podemos ir em busca disso fazendo novas
escolhas com relação a nossas emoções, a nossas atitudes e a nossos pensamentos habituais. 

Nesta arena, somos muito mais poderosas do que pensamos. As experiências podem ensinar-nos como somos poderosas — e então estaremos prestes a ter uma experiência nova e marcante em nossa vida.

Podemos continuar na mesma casa, com a mesma família, na mesma igreja, na mesma cidade e no mesmo emprego.

Quando a qualidade de nossas experiências interiores ficar diferente, a qualidade de nossas experiências exteriores também mudará. Não existe “talvez” com relação a isso. É tão universal quanto a lei da gravidade.

Mas por que não ficamos sabendo disso antes? Bem, muitas já sabiam. Porém, isso não é popularizado com freqüência porque depende de uma disposição fundamental:
a de assumir a responsabilidade pela qualidade de sua própria experiência.

Responsabilidade não significa culpa.

De jeito nenhum. Significa a capacidade de reagir. Olhando para as escolhas e mudanças interiores, percebemos uma capacidade, freqüentemente ignorada, de escolher nossas reações a tudo e a todos. Se fizermos isso, e se continuarmos a fazer escolhas conscientes sobre quais qualidades queremos ter, podemos alterar totalmente a qualidade de nossa vida.

Muitas mulheres ainda têm a sensação de que estão limitadas por forças que fogem ao seu controle. Seus maridos, seus filhos, problemas financeiros, as regras da sociedade ou da religião — todos os tipos de experiências das mulheres comuns levam a um sentimento de impotência. 

Quando vivemos em função desse sentimento, nunca estamos realizadas e felizes; e também
temos tendência a culpar tudo e todos, exceto nós mesmas, por nossa condição.

Ensinaram a muitas de nós um tipo distorcido de religião que sugere que as mulheres devam deixar que suas famílias, maridos e comunidades determinem a natureza de suas vidas. Isso é chamado auto-sacrifício, e é fatal para o espírito humano.

Sacrifício significa “tornar sagrado”.

Não quer dizer jogar fora os poderes que Deus nos deu. Não significa satisfazer todas as necessidades de todas as pessoas que nos cercam. Não significa que Deus espera que nos tornemos capachos — pessoas ótimas, mas ainda assim capachos.

Sacrificar-se quer dizer transformarmonos em pessoas sagradas, oferecendo-nos a Deus no amor e na liberdade. Seremos incapazes de fazer isso (para não dizer que não queremos) se não descobrirmos que temos algo verdadeiro, valioso e forte para oferecer a Deus. Um componente essencial nesta descoberta é o reconhecimento de nossa capacidade humana de escolher nossas próprias atitudes e valores, e deixar que nossas escolhas se transformem em ações.

Este é o propósito deste livro. Por mais de uma década, tenho vivido e observado o poder de escolha sobre nossas condições interiores, de maneira um tanto deliberada.

E tenho aprendido. Este livro relata meu aprendizado.

Desejo dar um aviso a cada leitora. As sugestões deste livro não são essencialmente direcionadas a pessoas com grandes traumas anteriores. Milhares de mulheres comuns trazem consigo vários problemas e desafios, mas se dão muito bem na vida cotidiana. Muitas, muitas mesmo, ainda se sentem limitadas e incapazes, embora sem grandes traumas. Algumas podem se perguntar por que estão sempre vagamente infelizes, já que suas vidas realmente “não
são tão ruins”.

Se você teve um grande trauma, pode não estar pronta para estas sugestões. Pode precisar de alguma ajuda profissional. Se for esse o caso, tente resolver! Então, poderá seguir sua própria vida. 

Se você é uma mulher que só quer que sua qualidade de vida melhore, sem ter de fazer uma grande revolução em sua casa, no relacionamento com a sua família ou em outros aspectos, então este livro é para você. Sua mensagem é simples de se transmitir, muito embora a experiência não possa ser adquirida da noite para o dia. 

A mensagem é esta: Você não é incapaz., Você é uma pessoa de grande poder. Seu poder pessoal é sua capacidade de escolher suas próprias qualidades interiores.

Eu garanto, é uma viagem fascinante esta jornada através mundo interior pelo qual você é responsável. Eu a convido, insisto, para aproveitar a oportunidade.

Este livro é um começo — se você realmente captar o que é transmitido aqui. Tem funcionado comigo e com milhares que testaram estes princípios sozinhas.

Funcionará com você.




Link para acesso ao livro:
 
http://www.scribd.com/doc/8194370/Marilyn-GustinA-Coragem-de-Mudar

2 comentários:

  1. Viver não é apenas mudar, é continuar ...

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Mais um que terei dentre os muitos que já li. A indicação é muito boa, pessoal e profissionalmente falando...sempre tem um livro, um autor, um tema que nos socorre, né Rejane?

    O "aperitivo" foi muito bem escolhido, despertou o apetite pro banquete...rs

    Bjos, boa semana!!

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita.
Volte sempre!!
Rejane

"Quando uma criatura humana desperta para um grande sonho e sobre ele lança toda a força de sua alma... Todo o universo conspira a seu favor!" - Goethe "Sou sempre eu mesma,mas com certeza não serei a mesma para sempre!" Clarice Lispector

Textos no arquivo :

Visite meu arquivo .