"Vença a si mesmo e terá vencido o seu próprio adversário." (Provérbio japonês)



“Presos ou soltos, nós, seres humanos, somos muito cegos e sós. Quase nunca conseguimos transcender os nossos estreitos limites para enxergar os outros e a nós mesmos sem projetar o nosso próprio vulto na face alheia e a cara dos outros na nossa.”


"Quando uma criatura humana desperta para um grande sonho e sobre ele lança toda a força de sua alma... Todo o universo conspira a seu favor!" - Goethe





"Sou sempre eu mesma,mas com certeza não serei a mesma para sempre!"



Clarice Lispector



domingo, 14 de junho de 2009

Mudar




                         As pessoas mudam  .


"Veja: o mais importante e bonito, do mundo, é isto:  que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas; mas que elas vão sempre mudando. Afinam ou desafinam. Verdade maior. É o que a vida me ensinou." * Guimarães Rosa, Grande Sertão: Veredas *Não se espante com a mudança nas pessoas,você mesmo tem dias de "noite" e dias de "dia", momentos em que a alegria te contagia,e outros em que a tristeza te pega fundo.

Por isso, não queira entender o próximo,busque antes, amar sem restrições,sem cobranças ou imagens formadas.

Relacionamentos se dissolvem assim,com a imagem que um forma do outro sem respeitar as mudanças,sem se importar com os desejos próprios da alma que é única, individual,,e cheia de sonhos para realizar.Ainda hoje, reflita sobre as suas próprias mudanças,das necessidades ainda não satisfeitas,dos sonhos desfeitos e dos desejos incontidos,deixe escorrer pelo ralo da hipocrisia,a falsa idéia de que somos certinhos,de que somos sempre os mesmos.

Nós estamos em constante evolução,somos hoje o fruto colhido do dia de ontem e seremos amanhã,a semente madura do que plantarmos ainda hoje.

Paulo Roberto Gaefke







                                                Faxina  interior



Seria um dia como todos os outros, mas foi meu dia de arrumar a casa. Pó e teias de aranha subjugavam todos os meus cantos. Tralhas inúteis acumuladas a perder de vista, engolindo as portas com voracidade, a obstruir implacáveis minhas já débeis ousadias de enxergar que sim, que havia mundo além de mim... um colorido indefinível e carcomido era o triste estado das minhas paredes; ocupando por inteiro a solidão dos meus cômodos, o ar pesado, quente e sufocante que há tanto tempo alimentava meus pulmões. Mas era meu dia de arrumar a casa. E meu peito se encheu de uma compaixão arrependida, ao ver que ainda havia beleza jazendo sob os destroços do que um dia fora segurança e aconchego. E eu, outrora tão alheia e negligente, não mais conseguia sequer cogitar a idéia de abandoná-la, e percebi, em meio àquela desordem completa e descabida, que era chegado o momento de enfrentar o caos.

Penosa me foi a tarefa de recolher cacos e bugigangas, amontoados que estavam por todos os lados. Esvaziei os armários não sem dificuldade; me desfiz de meu velho e pesado baú de memórias, repleto de mágoas, insensatezes, rancores, frustrações – alguns tão antigos que nem me recordava ainda estarem ali. Feri-me, é verdade, fiz calos nas mãos; contudo, a despeito do corpo alquebrado, sorvi a certeza de me saber mais leve. Vasculhei todos os cantos em busca de pó e teias de aranha, e vi os raios de sol entrarem tímidos, porém festivos e resolutos, através das frestas diminutas que se revelavam diante da claridade tão desejada e enfim presente.


E restaurei minhas paredes rotas, gastas, e as vi ressurgirem vibrantes, imponentes, refletidas com todos os tons que se irradiavam de minhas cores nascentes. E, em um arroubo, abri todas as portas e janelas, e respirei profundamente a pureza do ar que havia banido de mim, e que agora me invadia com a benevolência lépida e impetuosa de uma correnteza. Arranquei sem piedade as ervas daninhas que se haviam multiplicado junto aos meus muros. E até esses fiz virem abaixo – pois para coisa alguma jamais serviram tais muros, afinal. Replantei meu jardim em um pedaço de terra que, de tão esquecido, virara terreno baldio – mas que, embora olvidado, recebeu minhas sementes e as germinou com amor de ventre materno. E me aninhei naquela terra, e a senti cálida e amorosa, e vi como era bonito o nascer dos girassóis... e chorei todas as lágrimas felizes e serenas que havia guardado sem saber para quê, e vi essas gotas de mim serem chuva fecunda para o novo universo que despontava diante dos meus olhos.

E embebida de um cansaço feliz repousei placidamente o corpo sobre aquele chão tão deliciosamente meu, e me deixei ficar a apreciar minha obra, e me permiti ser parte de tudo o que havia brotado da labuta de minha alma. Pois fora meu dia de arrumar a casa. E, enfim, era doce e reconfortante me sentir habitável.
Por Flávia Brito



.  



       Mudar é um ato de coragem

(Adaptação de um poema de Antônio Ferreira de Andrade)

"Mudar é um ato de coragem. É a aceitação plena e consciente do desafio. É trabalho árduo para hoje, É trabalho duro para agora E os frutos só virão amanhã, Quem sabe, tão distante... Mas quando temos certeza de estarmos Num rumo certo, a caminhada é tranquila. E quando temos fé e firmeza de propósitos, É fácil suportar as dificuldades do dia-a-dia. A caminhada é longa. Muitos ficarão à margem Outros vão retirar-se da estrada. É assim mesmo, contudo, os que ficarem, Chegarão, disso eu tenho certeza. ******** Ato de coragem! (Beatriz Kappke) Mudar é um ato de coragem Muitos ficarão à margem. Longa é a caminhada Curta porém pode ser a vida Ao chegar à encruzilhada Preciso estar decidida! Aceitação plena do desafio Firmeza e fé nos propósitos Ir além dos limites perfeitos Sair do pensamento irrefletido Abandonar padrões cristalizados Se necessário, quebrar a tradição Renunciar à mesmice Fugir do ostracismo... Livrar-me da couraça Abrir as fechaduras Ousar, inovar, refletir, analisar... Buscar aventuras, Viver mistérios , Para então, algo essencial descobrir: O sentido verdadeiro do amor e da bondade E com os outros repartir ! Chegar ao paraíso Ao céu de estonteante claridade Sentir que Fernão Capelo Gaivota Está dentro do meu ser E assim entender finalmente, Que é preciso MUDAR para CRESCER! Poema dedicado ao verdadeiro “Fernão Capelo Gaivota” que habita dentro de cada um de nós! ******* Só vence quem luta! Tenha em mente que sucesso sem luta é impossível. Sucesso é conseqüência de esforço, dedicação, planejamento. Os milagres existem, mas são construídos. As mágicas são simplesmente ilusões. Não existe magia na escalada do sucesso. Muitas vezes, a base do sucesso é o trabalho de bastidores. A luta não é decidida no tatame, mas na sua maneira de ir ao combate. Quando você se levanta da cama para ir ao tatame, já decidiu o resultado da luta. Ter método é fundamental para chegar ao topo da montanha! Se você quiser extrair água de um poço, não pode furar um buraco a cada dia. Precisa avançar em um único poço até atingir o ponto onde está a água. E desprendimento é a capacidade de abandonar o que não está funcionando para aprender o novo. É desapegar-se de certa maneira de fazer algo para conseguir um resultado melhor. O futuro é uma ilusão que sempre será diferente do que imaginamos. O melhor momento para ser feliz é agora!


                                                                             E p i t á f i o


   



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigada pela visita.
Volte sempre!!
Rejane

"Quando uma criatura humana desperta para um grande sonho e sobre ele lança toda a força de sua alma... Todo o universo conspira a seu favor!" - Goethe "Sou sempre eu mesma,mas com certeza não serei a mesma para sempre!" Clarice Lispector

Textos no arquivo :

Visite meu arquivo .