"Vença a si mesmo e terá vencido o seu próprio adversário." (Provérbio japonês)



“Presos ou soltos, nós, seres humanos, somos muito cegos e sós. Quase nunca conseguimos transcender os nossos estreitos limites para enxergar os outros e a nós mesmos sem projetar o nosso próprio vulto na face alheia e a cara dos outros na nossa.”


"Quando uma criatura humana desperta para um grande sonho e sobre ele lança toda a força de sua alma... Todo o universo conspira a seu favor!" - Goethe





"Sou sempre eu mesma,mas com certeza não serei a mesma para sempre!"



Clarice Lispector



quarta-feira, 19 de maio de 2010

Vôo do condor .









As vezes, sinto vontade de voar, com uma pretensiosa convicção de saber planar sobre as nuvens e montanhas.
Mas até nos sentimentos, a força da gravidade nos mantém presos a vínculos, que até hoje, não consegui aceitar
seus mistérios e porquês.
É como se a vida me conduzisse para os meus mais íntimos sonhos e uma força poderosa, mas sem preceitos
estabelecidos por mim, me chamasse para a razão.
Uma razão que não me cabe julgar ou aceitar, pois ela já existe dentro de mim.
Como queria voar! Sem local e hora de pouso. Simplesmente voar! Voar em busca de viver, voar em busca do
meu "eu", voar nos meus sonhos e desejos mais íntimos, como o Condor, que ao olhar para baixo, sente a
fragilidade dos que se encontram sobre a terra e extasiado senti se distante de todo tipo de mesquinharias que lá
se encontra.
Talvez este condor até tentasse um vôo rapante, mas longe de se iludir com a paisagem tão próxima e batendo
com toda força suas asas, fugiria, como se já conhecesse aquele lado falso do belo e não quisesse mais iludir se.
Permanecendo longe de tudo e de todos. Evitando sofrimentos e questionamentos.
Sendo um pouco egoísta a quem o quisesse julgar, mas vivendo, não sei como, o seu sonho de superioridade.
Mesmo sendo um sentimento, que dentro dele, não significasse, exatamente superioridade e sim liberdade.

Voar, voar, voar...

Um vôo sem limites, sem rumo, mas um vôo verdadeiro, de um ser que nunca vai se encontrar na realidade, pois
seus sonhos são maiores, mas impossíveis, porque o mundo não é dele e o rumo das leis já estabelecidas, não
mudam.
Voe Condor!  
Não olhe para baixo, não olhe a razão! Simplesmente voe! Procure ser feliz!
É difícil, eu sei! Mas me faça também um pouco feliz, vendo o partir. Saia dessa prisão, e não se culpe .
Você foi feito para viver livremente, não se puna por um desejo, que está lhe sufocando.
Ponha o em prática e se não der certo, o caminho de volta você também conhece e pode tentar regressar, mas,
mais bonito e corajoso, menos deprimido e confiante. 

Você irá se conhecer e irá com certeza mudar sua pequena
vida.



 Por: Márcia Aparecida Silva Zauza.

VOE



Por  :  Lua Hedra 

Imagine por um momento um pássaro no céu, veja ele deslizando em seu vôo, não há obstáculos, não há o que possa pará-lo, ele voa até sentir-se cansado, faminto, até que queira parar. Assim eu sou livre, não há rótulos que impeçam que eu seja o que sou, não há ventos que façam mudar meus rumos sem que seja minha vontade, não há olhares reprovadores, muito menos pessoas que me façam recuar na imensidão que eu quero conquistar.

Há forças dentro de mim, forças que me mantém crente em meus conceitos, força que faz com que eu fale o que eu penso, força que me carrega por todo o mundo e que jamais deixa que eu me esqueça quem eu sou. As pessoas que entram em minha vida não me diminuem, as que partem também não, elas me fazem crescer, assim como um ponto de vista diferente do meu, uma filosofia diferente da minha, uma religião, um ser, uma pessoa, uma situação, tudo isso me faz crescer, me desperta certezas e dúvidas, me despertam um questionamento, uma virtude, uma fraqueza, um sentimento e isso me faz viva.

Quantas vezes não paramos abismados com o que o outro está fazendo, com o que o outro acredita, com aqueles que matam animais em rituais, com os que deixam de matar, com os que não fazem rituais, com os que servem um deus, com os que seguem deuses, estamos sempre batendo de frente com conceitos e crenças diferentes das nossas. Muitas vezes questionamos como o outro pode pensar dessa maneira, como o outro pode ver desta forma, estamos sempre questionando o outro e nunca estamos nos questionando.

O que eu quero lembrar com isso é que não é o outro que temos que questionar e sim, a nós mesmos: Como nós podemos acreditar nisso? Que provas temos que isso é real ou certo? Por que estamos assim? Por que agimos assim? Por que pensamos desta forma e não como o outro? Temos que usar o outro como espelho e não como um inimigo à suas filosofias, à suas crenças. Não, o outro não pode abalar o que está concreto em você! O outro não tem força suficiente para destruir as estruturas em sua vida, muito menos aquilo que acha certo e que acredita, principalmente quando tem com você a certeza de suas convicções. Da mesma forma que o outro não pode lhe oferecer tudo aquilo que você espera, ele também não pode destruir tudo aquilo que você tem certo consigo mesmo.

Observe as pessoas, ouça as pessoas, independente de suas crenças, de suas certezas, de suas filosofias, mas jamais deixe com que elas façam com que se desvie de seu vôo, jamais que elas façam com que você deixe de ser quem é. Aplique isso aos seus rótulos também, não se rotule, não se limita, você é o infinito em miniatura e nenhum rótulo, título, o que for que carregue consigo pode limitar todo o universo que você é! Somos grandes demais para um único título, somos muito mais do que um simples substantivo pode oferecer, temos muito mais dentro de nós do que qualquer coisa pode descrever, assim como o nosso corpo, que mostra num único gesto todos os sentimentos que um poema jamais conseguiria descrever; um sorriso, uma lágrima, o silêncio, um olhar, falam mais que mil palavras.

Não se prenda por suas crenças, não se enquadre num padrão, não se abstenha! Experimente, exceda, seja grande, seja um provador da vida, não perca uma única oportunidade, não deixe de ouvir, não deixe de falar, não deixe de sentir, não deixe de se expressar, que se não formos isso, o que seremos? Um substantivo, uma pessoa que faz parte de tal grupo, um doutor, um advogado, um escritor? Isso é pouco para tudo o que você é, não deseje pouco, não seja pouco, não se limite, mas voe, voe e experimente cada vento, seja forte, tempestuoso, brisa, experimente tudo o que pode oferecer para si mesmo e também as coisas que a vida lhe oferece. Faça hoje, porque só somos hoje!

Liberte-se de suas amarras e voe, não importe os títulos, não importa o outro, não importa o que pensem ou deixem de pensar, seja o que é, não tenha medo, não tenha vergonha, não se prenda por bobeiras, moral, religiões, conceitos, pessoas, faça o que tem que ser feito por você, conquiste o que queira conquistar. Não se importe com a cor da pele, o nome que carregue, o quanto sabe, nada disso faz de você mais ou menos, o que importa é o que traz dentro de você, o que importa é o seu amor por si mesmo, sua liberdade, o seu ser sem se importar com o que pensem ou queiram que seja. Apenas voe e sinta o infinito que há dentro de você.

(Lua Hedra)

Um comentário:

  1. Rejane
    Viver, simplesmente viver.
    Lindo
    Sempre bom estar por aqui.
    Ah!!! e quero te agradecer por ser a primeira a seguir o Consultório Alternativo. Ele nem tinha nada postado e vc lá, já marcando sua presença.
    Sou grata pelo carinho.
    Beijo
    Alzira

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita.
Volte sempre!!
Rejane

"Quando uma criatura humana desperta para um grande sonho e sobre ele lança toda a força de sua alma... Todo o universo conspira a seu favor!" - Goethe "Sou sempre eu mesma,mas com certeza não serei a mesma para sempre!" Clarice Lispector

Textos no arquivo :

Visite meu arquivo .